Quais os maiores motivos para trabalhar no INSS?

1. Para quem gostar de aventuras, o INSS possui os “PREVBarcos”, que são unidades móveis flutuantes, equipadas com toda tecnologia, que funcionam nos rios da região amazônica, única opção de acesso à população ribeirinha.

2. O INSS periodicamente faz grandes programas internos, que permitem ao servidor conhecer outras unidades e outros estados. Se estiver disposto a trabalhar, o técnico de seguro social terá condições de conhecer o Brasil inteiro.

3. Não há exigência no tocante à vestimenta a ser utilizada no local de trabalho.

4. O regime de trabalho é estatutário, o que confere estabilidade empregatícia.

5. Após o estágio probatório, há possibilidade de solicitação de transferência para trabalhar em outra cidade.

6. O desenvolvimento na carreira empregatícia poderá ocorrer por meio de progressões e promoções.

7. Os funcionários do INSS têm direito a vale-transportes, auxílio-alimentação e auxílio-creche.

E então, o que achou?

Veja agora o depoimento de Leonildes Campos, analista do INSS desde 2005, sobre seu dia a dia de trabalho no INSS:

Trabalhar no INSS é muito bom, além dos benefícios, de uma vida financeira relativamente tranquila, o servidor tem a oportunidade de ajudar as pessoas, quando do cumprimento da missão da Autarquia que “é garantir proteção ao trabalhador e sua família”. Desde que tomei posse, presto serviço na Procuradoria, colaborando na defesa judicial do INSS. Minha atribuição no dia a dia é executar as atividades de cálculos e pagamentos (RPV – requisição de pequeno Valor e Precatórios) em processos judiciais de competência da Procuradoria-Seccional, elaborar, conferir e analisar os cálculos de acréscimos e combinações legais nos processos judiciais de pessoal e proceder, sob a orientação e supervisão de Procurador Federal, a elaboração, conferência e análise dos cálculos de liquidação de decisão judicial nas ações previdenciárias e acidentárias, além de verificar se o cumprimento da obrigação de fazer, inclusive em sede administrativa, está em conformidade com os parâmetros definidos no título executivo.

Quer saber mais? Veja a história de Fernando Mascarenhas, que foi de Técnico de Seguro Social a Gerente Executivo em apenas três anos de concursado.

Fernando conta que surgiu em Salvador a oportunidade que o levaria ao cargo de gerente executivo, ele fez um dos diversos programas do INSS. Segundo ele, “O INSS sempre faz grandes programas internos, que permitem ao servidor conhecer outras unidades e outros estados. O técnico de seguro social só fica preso àquela agência se quiser”.

Fernando participou do Programa de Gestão de Atendimento (PGA), no qual servidores são selecionados para participar do processo de melhoria do atendimento das agências em todo país. Com isso, foi trabalhar em Aracaju e depois no Rio de Janeiro. Quando terminou o programa, fez uma prova, foi aprovado e escolhido para assumir o cargo de gerente executivo em Niterói-RJ. Vale ressaltar que a tal prova é necessária para quem deseja assumir o cargo de gerente.

Mascarenhas explica que a rotina do técnico poderá se dividir em atendimento ao público, relativo à habilitação de benefícios, ou na atuação em unidades administrativas, neste caso com mais atividades burocráticas e com um menor contato com o público em geral.

Acerca do clima de trabalho no INSS, Fernando afirma que este é agradável, mas que tem problemas como em qualquer outra empresa, sendo o ambiente descontraído e tranquilo para se trabalhar, e para ele, o melhor é a inexistência de exigências quanto à vestimenta a se utilizar no trabalho.

Fonte: Folha Dirigida

>> Clique aqui para saber como estudar para o Concurso do INSS <<